Pular para o conteúdo
Voltar

DPMT participa do 17º Congresso de Inovação no Poder (Conip), evento de tecnologia na Justiça e órgãos de controle

A secretária executiva, Maria Luziane Ribeiro de Castro, o analista de sistemas, Tiago Paludo, e o assessor especial, Felipe Douglas da Cunha, representaram a Defensoria Pública de Mato Grosso no evento, que debateu inovações tecnológicas no Judiciário e nos órgãos de controle do país, nos dias 30 e 31 de agosto, na capital federal
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

Divulgação
A | A

Representada pela secretária executiva, Maria Luziane Ribeiro de Castro, e pelos servidores Felipe Douglas da Cunha e Tiago Paludo, da Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CTI), a Defensoria Pública de Mato Grosso participou do 17° Congresso de Inovação no Poder – CONIP Judiciário e Controle, que ocorreu na terça (30) e quarta-feira (31), em Brasília-DF.

“O evento foi excelente! Tivemos a oportunidade de conhecer novas práticas, trocar experiências, conversar com fornecedores, enfim, foi bastante enriquecedor”, afirmou Luziane.

Essa foi a 17ª edição do Conip, que reuniu mais de 400 participantes, incluindo as maiores autoridades de Tecnologia da Informação (TI) do Poder Judiciário e dos órgãos de controle do país – tribunais, Defensoria Pública, Ministério Público, instituições de controle e seus conselhos, além de demonstrações e casos práticos das principais iniciativas de transformação digital no setor.

“A Defensoria Pública avançou muito nos últimos anos, mas existe ainda muita coisa a ser feita. Participar de eventos como esses pode encurtar caminhos na busca de novos sistemas e de melhorias para a nossa Instituição. Buscamos novas tecnologias para melhorar a prestação de serviços à nossa população, sermos mais eficientes e entregarmos o resultado que a nossa população precisa”, destacou Luziane.

Além da DPMT, também marcaram presença no congresso representantes das Defensorias Públicas do Paraná, Minas Gerais, Tocantins e Espírito Santo. A Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep) é uma das apoiadoras oficiais do evento.

“O evento nos possibilita trazer novos conhecimentos e implantações na DPE-MT, como, por exemplo, soluções automatizadas a sistemas de inteligência para as áreas-meio e finalísticas, como o BI, assim como solução de transmissão do Conselho Superior, metodologias de segurança de sistemas e redes de computadores para toda a Instituição. Destaco também que o órgão vem aderindo, aos poucos, às novas tecnologias, como os trabalhos que já são feitos na AWS”, ressaltou o coordenador da CTI, Felipe Douglas da Cunha.

De acordo com a organização, o objetivo do congresso é contribuir para a conscientização da necessidade da transformação da jornada dos operadores do Poder Judiciário e dos órgãos de controle, auxiliando no uso das melhores ferramentas e apresentando estudos de casos e tecnologias para maior fluidez nos processos.

“Posso destacar a apresentação de plataformas sobre segurança de dados pessoais em posse do Judiciário, a criação de um ecossistema de intercomunicação entre todos os tribunais, federais e estaduais, chamado PDPJ, que permitirá uma maior integração e padronização de processos, o uso de inteligência artificial na classificação de processos, detecção de vulnerabilidades, e a Justiça 4.0, uma referência à quarta Revolução Industrial, com foco na modernização do Judiciário”, resumiu Tiago Paludo, analista de sistemas da DPMT.