Pular para o conteúdo
Voltar

Atendimento pelo número único de WhatsApp da Defensoria Pública foi retomado na terça-feira (20)

Devido ao grande volume de interações simultâneas, o sistema de atendimento pelo número único de WhatsApp da DPMT, lançado no dia 12, apresentou inconsistências e foi suspenso no dia 13; por enquanto, atendimento continua disponível pelos telefones dos Núcleos da Defensoria Pública, que já existiam, até a estabilização da nova ferramenta
Alexandre Guimarães | Assessoria de Imprensa/DPMT

Arte: Bruno Cidade/DPMT
A | A

Na última terça-feira (20), foi retomado o atendimento pelo número único de WhatsApp da Defensoria Pública de Mato Grosso (65 99963-4454). O sistema tinha sido suspenso no dia 13 por conta de inconsistências na plataforma que hospeda a ferramenta, devido ao grande volume de interações no dia do lançamento.

Foram 18.168 interações simultâneas, gerando 11.429 atendimentos online apenas na tarde do dia 12, primeiro dia de funcionamento da ferramenta. O canal foi suspenso por sete dias (13 a 19 de setembro) para que a situação fosse regularizada.

A prestação do serviço pelo novo contato está disponível de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, horário regular de expediente do órgão.

O anúncio da retomada do atendimento pelo número único de WhatsApp foi feito por meio da Comunicação Interna no 031/2022/GDPG/DPEMT, assinada pelo defensor público-geral em exercício, Rogério Borges Freitas.

Segundo a Administração Superior, serão mantidos os atendimentos pelos telefones da Defensoria Pública que já existiam, via WhatsApp, como forma de garantir uma eficaz prestação de serviço público aos cidadãos atendidos pela Defensoria Pública, até a estabilização do novo sistema.

Vale destacar que não houve qualquer interferência no atendimento presencial, que continua disponível à população em todos os Núcleos da Instituição de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

Chatbot – O atendimento pelo número único de WhatsApp da DPMT é feito por um sistema conhecido como chatbot, pelo qual o cidadão, no início do atendimento, é guiado por um robô a responder perguntas objetivas, com o uso de números.

Em nota, o defensor público-geral em exercício, Rogério Borges Freitas, afirmou que, assim que os problemas foram detectados, foram tomadas providências administrativas junto à empresa responsável pelo desenvolvimento da ferramenta, que se comprometeu a solucionar todas as falhas e ainda a realizar novos testes de estresse na plataforma, no prazo de cinco dias.

Clique aqui para saber mais.